Avançar para o conteúdo principal

“A CASINHA NO MONTE” | Alfredo Costa Pereira


Pintura de Carlos Ramos

“A CASINHA NO MONTE”


Aquela casinha branca além, encostada às outras na aldeia da serrania, na solidão do monte, está risonha a branquejar, e ainda guarda na luz do dia, um rasto amarelo de luar! E soprada pelo vento, escreve canções plenas de harmonia!

As lindas e pequenas flores bravias que se abrem entre a penedia e os mansos animais que devagar, com melancolia por ali vão passar, dão-me vontade de ter um cavalete, telas, pincéis e tintas, para poder pintar aqueles diferentes cenários de encanto, de amor e de alegria.

Na limpidez do azul, e da fresca e subtil aragem, bafeja brandamente a imagem daquela casinha branca envolta no silêncio da calma, com janelas viradas a Sul.

Escuta amor, a mensagem do vento a passar, e repara como as rochas debruçadas pelos montes nos estão a mirar!

Entenderam a brisa, estão contentes por irmos para aquela casinha branca namorar, vendo o rasto amarelo do luar!

© Alfredo Costa Pereira

Comentários

UNO LITERÁRIO

"UM PIANO NA MINHA RUA..." | Fernando Pessoa

"UM PIANO NA MINHA RUA..." Um piano na minha rua… Crianças a brincar… O sol de domingo e a sua... Alegria a doirar…
A mágoa que me convida A amar todo o indefinido… Eu tive pouco na vida Mas dói-me tê-lo perdido.
Mas já a vida vai alta Em muitas mudanças! Um piano que me falta E eu não ser as crianças!
Fernando Pessoa, Poesias