Avançar para o conteúdo principal

"SOLIDÃO!" - Ângela Caboz

"SOLIDÃO!"


Solidão!
É não encontrar a razão.
Virar as costas à realidade
esconder o que sinto na sombra da idade!

Arrumar o meu coração,
como se fosse uma árvore sem raiz.
Arrancar pela raiz essa flor
que continua verdejante
a brilhar no centro do meu jardim...

Solidão
É essa faca afiada
que quer fazer de mim mulher desconfiada.
Essa voz que brame no meu ouvido
Silêncios que não me fazem sentido
Esse grito que não tem som
esse sofrimento, que parece ser um dom.

Solidão
É amar-te sem principio nem fim
sem que te tenha aqui junto a mim.
Ter-te encontrado antes do tempo
e ficar a olhar para o vento
à espera que ele me traga notícias tuas.

Caminhar desesperada pelas ruas
sabendo que ainda não chegou a hora
de cruzarmos os nossos olhares.
Olhar para o mundo lá fora
com a esperança
de que a vida me possa surpreender.

Solidão
É abraçar-te longe do coração
e sentir-te próximo para um beijo
que é apenas o sonho em que desejo
perder-me nos braços da tua paixão

Solidão
É sentir-te com toda esta emoção
sem saber quando os nossos corpos se tocarão.

Ângela Caboz

Comentários

UNO LITERÁRIO

"UM PIANO NA MINHA RUA..." | Fernando Pessoa

"UM PIANO NA MINHA RUA..." Um piano na minha rua… Crianças a brincar… O sol de domingo e a sua... Alegria a doirar…
A mágoa que me convida A amar todo o indefinido… Eu tive pouco na vida Mas dói-me tê-lo perdido.
Mas já a vida vai alta Em muitas mudanças! Um piano que me falta E eu não ser as crianças!
Fernando Pessoa, Poesias