Avançar para o conteúdo principal

"O Poema: Céu-Mar" | Ró Mar

"O Poema: Céu-Mar"


Poeta do meu coração
Espero sempre o teu poema, 
Minha alma é solidão
No teu tempo vão.

O meu tempo não importa,
O que importa no momento
É saber que nesta porta
Só entra o teu pensamento.

Escreve-o de coração
No dedilhar da tua pena
A clave de nós só tem uma tradução
Amor e poesia plena.

Menina dos olhos doces
Porque escondes teu olhar?
Olho-te como se fosses
Uma rosa de suave tocar.

Nem eu sei bem…
Mas, não ouso tais sentimentos,
Quedo-me nos pensamentos
Que sei que te vão bem.

Se me quiseres olhar
Com teu olhar de menina
Eu me hei-de apaixonar
Pelos teus olhos, Rosa minha.

O carinho das tuas silabas
Guardo pelo meu castanho olhar,
Que dos teus versos se fez azul mar,
Quiçá, um dia o sigas.

Teus versos são como estrelas
Que brilham no meu olhar,
E, entre as estrelas mais belas
É a ti que eu hei-de amar.

O poema que nasceu do nada
É agora o céu-mar…
Que abraça o eterno poetar,
Meu Poeta, sou a tua amada.

© Ró Mar

Comentários

UNO LITERÁRIO

"UM PIANO NA MINHA RUA..." | Fernando Pessoa

"UM PIANO NA MINHA RUA..." Um piano na minha rua… Crianças a brincar… O sol de domingo e a sua... Alegria a doirar…
A mágoa que me convida A amar todo o indefinido… Eu tive pouco na vida Mas dói-me tê-lo perdido.
Mas já a vida vai alta Em muitas mudanças! Um piano que me falta E eu não ser as crianças!
Fernando Pessoa, Poesias