Avançar para o conteúdo principal

"SER OU NÃO SER LITERATO" | Frassino Machado

"SER OU NÃO SER LITERATO" 


Ser ou não ser um literato
Eis mesmo uma grande questão
Escrever é um brioso acto
Qu´ anda sempre de mão em mão.

Não s´ escreve, porque não s´ escreve…
Se s´ escreve, é um descalabro...
Porém quem não deve não teme
Ser ou não ser um literato. 

Ninguém nasceu para escrever
Mas teve de aprender a lição,
Ser um literato e crescer
Eis mesmo uma grande questão. 

Agir e comunicar é firme
Com palavras de bom trato
P´ ra solidão ser mais sublime
Escrever é um brioso acto.

Fazer escrita não é fantasia,
Da história é a consagração,
E se é paixão torna-se ousadia 
Qu´ anda sempre de mão em mão.

Voam palavras em toda a parte
E nunca é justo o denegrir:
Qu´ o literato goze a sua arte
Quem não o é que possa fruir.

Na prosa, na poesia ou drama
Ninguém é grande nem pequeno
Quem escreve, a arte reclama
E contestá-lo é um puro veneno! 

Frassino Machado
RODA-VIVA POESIA

Comentários

UNO LITERÁRIO

"UM PIANO NA MINHA RUA..." | Fernando Pessoa

"UM PIANO NA MINHA RUA..." Um piano na minha rua… Crianças a brincar… O sol de domingo e a sua... Alegria a doirar…
A mágoa que me convida A amar todo o indefinido… Eu tive pouco na vida Mas dói-me tê-lo perdido.
Mas já a vida vai alta Em muitas mudanças! Um piano que me falta E eu não ser as crianças!
Fernando Pessoa, Poesias